Milho: preço dobra e pode compensar quebra para produtor de SP

Publicado no dia 12/04/2021 às 16h48min
Apesar de a perspectiva de produtividade 20% menor por conta da seca, agricultor está animado com a valorização do produto em relação a 2020

Em muitas regiões produtoras de milho segunda safra do estado de São Paulo, houve atraso no plantio, consequência da demora da colheita de soja, causada pelo clima. Na propriedade do Josuel Moraes, em Araçoiaba da Serra, a situação não foi diferente. O atraso da semeadura foi de mais de 15 dias.

Outro desafio enfrentado pelo produtor foi o aumento no custo de produção. “A gente fez tudo com dinheiro do caixa próprio, mas tá dobrando o preço. A mercadoria para vender aumentou de preço, mas o custo de produção dobrou de preço também, desde o óleo diesel, insumos, semestre, está tudo caro, então não está muito fácil de trabalhar, tem que trabalhar com pé no chão para não perder lá na frente”, comentou. 

Apesar disso das dificuldades com o clima e o custo de produção, é aguardada uma boa safra. “No ano passado a gente teve produção de cerca de 110 sacas por hectare. Neste ano, eu espero de 100 sacas a 90 sacas por hectare, porque a chuva tá mais complicada, e eu plantei um pouco tarde, então estou aguardando essa colheita”.

Mesmo com a produtividade podendo registrar baixa de quase 20%, o volume colhido deve pagar os custos de produção com margem de lucros. “Sendo 100 sacas por hectare está razoável. Não deixa prejuízo e deixa um pouco de lucro ainda”, ressaltou. 

 

Foto: Josuel Moraes/arquivo pessoal

Para 2022, o produtor planeja aumentar a área plantada, de 50 para 200 hectares. E para esta safra, a expectativa é vender o grão pelo dobro do preço comercializado em 2020. “O ano passado eu vendi em torno de R$ 45 a R$ 50 a saca, agora, neste ano, a expectativa é de vender R$ 90 a R$ 100 a saca, a expectativa é bem melhor”.

Puxado pela alta demanda e estoques mais baixos, o mercado deve continuar aquecido e o preço em alta nos próximos meses. “Como um todo, acreditamos que a produção de milho vai ser boa, mas não vai satisfazer a demanda. Acreditamos que teremos mais aumentos de preços porque a demanda global está muito grande pelo milho”, comentou Bernhard Leisler Kiep, diretor da Abramilho. 

Fonte: Canal Rural Por Flavia Macedo, de So Paulo

ÚLTIMAS

Fale Conosco

RUA B 21 QUADRA 25 CASA 05 ITANHANGA UM CEP 75680 456 Caldas Novas/GO
(66) 9995-30168 | (64) 3453-5179 | (66) 99953-0168
contato@portalghf.com.br