Últimas Notícias
Capa / Logística / Aliança Navegação e Logística estreia nova rota de cabotagem na APM Terminals Pecém

Aliança Navegação e Logística estreia nova rota de cabotagem na APM Terminals Pecém

Das 2.524 TEU-Containerschiff „Aliança Santos“ wird im Cabotage-Dienst der Aliança zwischen den brasilianischen Häfen eingesetzt. Dieser Dienst darf nur von brasilianischen Reedereien und Schiffen unter brasilianischer Flagge abgewickelt werden.
The 2,524 TEU container vessel “Aliança Santos” is deployed in Aliança’s cabotage service. Only Brazilian shipping companies and ships sailing under the Brazilian flag are permitted to operate this service.

A Aliança Navegação e Logística inaugurou esta semana uma nova escala do Sling 2 de cabotagem em Pecém, que permitirá ao armador oferecer uma conexão mais rápida entre Santa Catarina e o Ceará. A nova rota encurtará o tempo de trânsito das importações para o Estado, cujo transbordo acontece em Santos.

Segundo Marcus Voloch, gerente geral de Cabotagem e Mercosul da Aliança Navegação e Logística, a nova escala visa ampliar a capacidade de espaço para cargas do Sul/Sudeste para Norte/Nordeste. “O tempo de viagem entre Santa Catarina e o Ceará, que era de 10 dias, cairá para seis dias. De Santa Cataria para Pernambuco, o “transit time” permanece em cinco dias. Passamos a oferecer o melhor “transit time” do mercado para essas praças”, enfatiza Voloch.

A Aliança Navegação e Logística, que tinha uma expectativa de crescimento de 5% a 7% na cabotagem, cresceu dois dígitos no primeiro semestre e espera manter o mesmo ritmo até o final do ano. “Temos uma grande oportunidade de crescimento na movimentação de carga refrigerada e de alimentos perecíveis que não têm o costume de utilizar o modal marítimo. Nossa expectativa é muito positiva para 2017 e 2018”, comenta Voloch.

Durante o primeiro semestre de 2017, os setores que mais cresceram na cabotagem em Pecém foram alimentos, químicos e resinas, produtos de limpeza, papel e materiais de construção.

“A crescente demanda do mercado local, atrelada a uma moderna infraestrutura e altos padrões operacionais, são fatores essenciais à atração de novas linhas. Com um mix diverso de rotas atendidas em Pecém, as operações de contêiner ganham cada vez mais importância local e impulsionam o desenvolvimento de toda a região”, diz Daniel Rose, superintendente da APM Terminals Pecém, que presta serviços operacionais à Cearáportos, empresa responsável pela administração do terminal.

Sobre portalghf