Últimas Notícias
Capa / Agricultura / Soja, por AgResource Mercosul: Atenções especulativas voltam às variações climáticas na América do Sul

Soja, por AgResource Mercosul: Atenções especulativas voltam às variações climáticas na América do Sul

Reação positiva pós-USDA!

Dia de relatório e volatilidade na CBOT nesta quinta-feira (8). Os novos números do USDA trouxeram uma reação positiva aos preços após a digestão das estimativas, pelo Mercado da soja. A priori, as cotações possuíam dificuldades para tomar um direcionamento no pós-relatório, com números de exportação dos EUA em redução, pesando por um lado baixista. E pelo outro lado, os estoques globais também sendo reduzidos, que trouxe suporte à CBOT. As estimativas de safra do USDA para a América do Sul foram anuladas pelo aumento de 2 MT no Brasil, que totaliza 112 MT da oleaginosa, e a redução de 2 MT na Argentina, que totaliza os 54 MT. Além do mais, o Departamento da Agricultura dos EUA trouxe o acréscimo de 2 MT nas exportações brasileiras para 2017/18, que agora totalizam 69 MT de soja. No geral, os recentes relatórios não tiveram muito impacto no direcionamento das cotações no médio/longo prazo. As atenções especulativas voltam às variações climáticas na América do Sul e as prospecções para a safra 18/19 nos EUA.

Soja, por AgResource Mercosul: Atenções especulativas voltam às variações climáticas na América do Sul

Publicado em 09/02/2018 07:31

2

87 exibições

AgResource-logo

Reação positiva pós-USDA!

Dia de relatório e volatilidade na CBOT nesta quinta-feira (8). Os novos números do USDA trouxeram uma reação positiva aos preços após a digestão das estimativas, pelo Mercado da soja. A priori, as cotações possuíam dificuldades para tomar um direcionamento no pós-relatório, com números de exportação dos EUA em redução, pesando por um lado baixista. E pelo outro lado, os estoques globais também sendo reduzidos, que trouxe suporte à CBOT. As estimativas de safra do USDA para a América do Sul foram anuladas pelo aumento de 2 MT no Brasil, que totaliza 112 MT da oleaginosa, e a redução de 2 MT na Argentina, que totaliza os 54 MT. Além do mais, o Departamento da Agricultura dos EUA trouxe o acréscimo de 2 MT nas exportações brasileiras para 2017/18, que agora totalizam 69 MT de soja. No geral, os recentes relatórios não tiveram muito impacto no direcionamento das cotações no médio/longo prazo. As atenções especulativas voltam às variações climáticas na América do Sul e as prospecções para a safra 18/19 nos EUA.

Ag1

Ag2

Ag3

Clima – América do Sul

As chuvas voltam a favorecer o Norte da Argentina, na noite de hoje. No entanto, os próximos 10 dias continuam sem chuvas expressivas para o Leste do país, principalmente sobre a província de Buenos Aires. A região de Córdoba, Santa Fé e Entre Rios passam a receber chuvas mais significantes nos próximos 3-5 dias, com totais pluviométricos que acima dos 20mm. No Brasil, o cenário continua bastante benéfico, com chuvas cobrindo quase toda a região sojicultora até o dia 13 de fevereiro. No dia 14 deste mês, uma massa de ar quente de alta pressão chega pelo leste brasileiro e toma conta da região da Bahia, Minas Gerais e Goiás. As novas precipitações serão repelidas durante a permanência desta massa. Para Goiás e Minas Gerais, o cenário é favorável, uma vez que há muita soja à ser colhido na região. No geral, nenhuma preocupação acentuada é levantada para o Brasil!

Sobre portalghf