Mapa estende calendário para cultivo do milho no Paraná

O pedido feito pela Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná) ao Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), semana passada, teve resultados práticos para os produtores paranaenses e traz um alívio para toda a cadeia de produção de aves e suínos. O Diário Oficial da União desta terça-feira (6) trouxe a retificação das portarias que estabelecem o Zarc (Zoneamento Agrícola de Risco Climático) do feijão safrinha e do milho 2ª safra para a safra 2017/18 no Paraná. A Federação pediu que o calendário fosse estendido em 20 dias para 170 municípios produtores do cereal e outras 176 cidades que cultivam a leguminosa.

A solicitação da Faep surgiu a partir da demanda dos agricultores, que não poderão semear o milho e o feijão no período recomendado em função do prolongamento do ciclo da soja. O atraso na oleaginosa ocorreu em função das condições climáticas adversas em praticamente todas as regiões paranaenses. A seca no mês de setembro e a chuva em outubro prejudicaram o plantio da soja em praticamente todas as regiões. Nos meses seguintes, as chuvas acima do normal e a baixa luminosidade em função dos dias nublados retardaram o desenvolvimento das plantas.

As portarias

A Portaria 116/2017 referente ao feijão 2ª safra prorroga até 20 de fevereiro o período de semeadura das cultivares do grupo I, II e III e solos 2 e 3. Ao todo foram 176 municípios paranaenses beneficiados.

Já a Portaria 214/2017 referente ao milho segunda safra prorroga até 20 de fevereiro o período de semeadura das cultivares do grupo I e II, solos 1, 2 e 3, sendo que os decêndios adicionais estão na classe de risco de 40%, o maior nível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *